“A vida é um mistério, que somente nos é revelado pelos processos do Amor; quanto mais a gente ama, no quilate do Amor que nada pede, mais ficamos sabendo das coisas escondidas dos que desconhecem essa virtude por excelência.” São Francisco de Assis

E nessa última parte do Caminho tive a certeza do que realmente importa: o amor. Segui meu coração e fui o tempo todo surpreendida por tanta abundância de vida. Amar é o único caminho…

7º dia – CAPRESE A SANSEPOLCRO

Distância: 25 km

Dificuldade: Moderado. Aqui já estamos na Toscana e o visual altera das montanhas para as planícies. Por isso mentalmente pode ser um trecho mais cansativo. Resumindo, é longo e vai exigir de você foco para chegar até o seu destino final.

Marcação: Perfeita. Nesse trecho não tem como se perder, até porque se passa por fazendas, rodovias e se vê gente ao redor. Qualquer dúvida, pergunte!

Refúgio: aqui que descobri que não existe só um Caminho de Assisi, aliás existem outras vias que levam até a cidade de São Francisco passando por lugares diferentes. O refúgio é destinado a esses peregrinos de todas as vias. Localizado em um antigo monastério o lugar é imenso e simples. Não tem cozinha e nem café da manhã, mas em Sansepolcro há inúmeras opções de restaurantes e padarias. Também não tem wifi e muito menos aquecedor. Mas como só havia meu grupo ali e mais um peregrino, que aliás conheci em La Verna (ele estava fazendo um outro Caminho de Assisi) usamos vários cobertores.

Dica: experimente a pizza do restaurante italiano bem na esquina do refúgio. Muito barato e foi uma das melhores pizzas que comi em toda a viagem.

8º dia –  SANSEPOLCRO A PERUGIA A VALFABRICA

Esse não foi um dia de caminhada. Como não tínhamos tempo para percorrer o Caminho completo decidimos pular três etapas e caminhar somente o último trecho: de Valfabrica a Assisi. Quem nos ajudou a decidir qual trecho pular foi o próprio Caminho, até porque de Cittá de Castelo a Gubbio algumas estradas estavam bloqueadas e seria necessário pegar um ônibus de qualquer maneira.

Então de Sansepolcro tomamos um trem a Perúgia e de lá um ônibus até Valfabrica.

Refúgio: o refúgio em Valfabrica é um apartamento: com dois quartos, um banheiro, sala de estar, internet e aquecedor. O jantar não estava incluso no valor da diária, mas ela servia um menu peregrino a uma valor de 12 euros. Topamos. A proprietária se mostrou prestativa e simpática, apesar da relação aqui com o Caminho ser meramente comercial.

9º dia – VALFABRICA A ASSISI  

Distância: 16 km

Dificuldade: Fácil. É o último dia e a sensação se mistura entre um querer chegar ao destino final e ao mesmo tempo querer seguir caminhando. Há uma subida ingrime no último trecho, uma longa subida para chegar ao santuário. Mas, peregrino…você já chegou até aqui, então continue caminhando!!!

Marcação: Perfeita. Nesse trecho você começa a ter mais noção de quantos outros caminhos passam por Assisi e todos guiam até o santuário.

Refúgio: faça uma reserva com antecedência. Assisi é uma cidade muito turística e quando cheguei lá nenhum dos refúgios sugeridos estavam disponíveis. Entrei em um café para usar o wifi e fiz uma reserva no hotel mais barato através do booking.com, chamado Hotel Roma. Localização perfeita, bem no centrinho da cidade e perto de tudo. Não tem café da manhã, mas sinceramente, nem precisa, Assisi é uma cidade muito charmosa repleta de bons restaurantes e inúmeros cafés.

Gostou? Ficou com alguma dúvida? Me escreve. Esse foi um dos caminhos mais lindos que fiz na vida!

Tenho também a planilha com os custos do Caminho e é só comentar aqui que envio para você. Bom caminho, peregrino!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *