BOLÍVIA - 15 DIAS EM ALTA MONTANHA,  VIAGEM

BOLÍVIA – CURSO DE ALTA MONTANHA – PARTE II

Chacaltaya

“Os acontecimentos maiores não são os mais ruidosos, mas as nossas horas mais silenciosas.” – Nietzsche – “Assim falou Zaratustra” – Dos Grandes Acontecimentos

Para começar a falar da segunda fase dessa expedição nada melhor do citar Nietzsche. Desde o momento que decidi participar dessa viagem, a convite de um grande amigo, sabia que seria desafiador, difícil e totalmente fora da minha zona de conforto. Mas o que eu não tinha a miníma ideia, era o quanto esse enfrentamento pessoal me geraria de crescimento.

Para este post, vou me conter em relatar as informações mais técnicas do roteiro, o dia a dia da expedição e dicas que podem facilitar a vida do leitor, caso queira fazer esta mesma viagem. A parte “filosófica” vou escrever em outra aba, Diários de Viagem.

Como descrevi no post anterior os três primeiros dias da viagem, nesse continuo com:

4º Dia – LA PAZ / CHACALTAYA – 5300m

O Monte Chacaltaya está a cerca de 30km da cidade de La Paz e muito próximo a Huayna Potosi. O acesso é por uma estrada estreita e bem íngreme.

Neste dia, um ônibus, estilo boliviano e dirigido pelo ilustre Dr. Hugo (proprietário do Refúgio Base, médico e muito engraçado) nos pegou no Hotel rumo ao Chacaltaya. Porém antes paramos no depósito de equipamentos para experimentar e escolher qual o material que seria alugado (já estava incluso no valor do curso, detalhado aqui). Até porque no dia seguinte, já ficaríamos no refugio base.

Aluguei: calça impermeável (cor de rosa, muito linda!rs), jaqueta de pluma, bota dupla, crampons, cadeirinha, piqueta, capacete (consegui um já com suporte para GOPRO) e mittens (aquela ‘luva’ sem dedos, que vai como última camada).

Depósito de equipamentos
Depósito de equipamentos

Chegando ao Chacaltaya o ônibus parou bem próximo da entrada. A caminhada ao cume é curta, mas já pude sentir um pouco o que seria caminhar na montanha. Senti muito frio nas mãos, percebi que precisaria de uma luva mais forte e com certeza dos aquecedores químicos para o dia de cume.

A paisagem do cume do Monte é linda. Pudemos ver o cume do Huayna Potosi e foi a primeira vez que tive o contato com a neve (brazilian’s feelings).

Galera do curso no cume do Chacaltaya
Galera do curso no cume do Chacaltaya
Monte Chacaltaya
Monte Chacaltaya

5º Dia – LA PAZ / BASE HUAYNA POTOSI – 4700m

O caminho para o campo base já é uma atração a parte. Uma paisagem incrível. Fizemos todo o percurso de ônibus e tiramos o dia para aclimatação e aulas teóricas já no refúgio.

A caminho do Campo Base
A caminho do Campo Base
Agradecendo pelo visual dos próximos 4 dias!!
Agradecendo pelo visual dos próximos 4 dias!!
E assim passamos nossos dias e noites.
E assim passamos nossos dias e noites.

6º Dia – ACLIMATAÇÃO E PRÁTICA – 4700m

7º Dia – ACLIMATAÇÃO E PRÁTICA – 4700m

8º Dia – ACLIMATAÇÃO E PRÁTICA – 4700m

Esses três dias foram incríveis. Ficar em lugar pequeno, a 4.700m de altitude, com pessoas que você conheceu a pouco menos de 4 dias é sensacional. Foi um dos momentos que pude conhecer melhor cada participante e construir ótimas amizades.

Demos muitas risadas, jogamos baralho, bebemos muita água e comemos muito bem (a comida do refúgio é incrível e sempre tinha opção vegetariana). Enfim seguimos o lema do nosso guia: Beber água e se divertir!!

Porém a 4.700m as noites não são tão agradáveis. Não teve um dia que dormi super bem, sem sentir frio ou dor de cabeça. Eu não costumo tomar remédios, mas nesses momentos era ibuprofeno (remédio utilizado em alta montanha para tratar as dores de cabeça) o tempo todo.

Maximo me deu uma ótima dica para esquentar minhas noites (na primeira senti tanto frio que não consegui dormir). DICA: Esquentar uma garrafa de água e colocar entre as pernas, bem próximo a virilha. Lembrar de lacrar bem, porque como o saco é de pluma de ganso, se molhar…é problema!!

Nesses dias também tivemos aulas teóricas e práticas de escalada em gelo. Praticamos nos glaciares que ficam a cerca de 2.5km do refúgio. Aprendemos: caminhada com crampons e piolet, quedas (tenso!!! mas muito divertido), descida por cordas e uso de piquetas técnicas.

Treinando no glaciar

Escalada em gelo

 

Curso no glaciar

O frio é psicológico!!
O frio é psicológico!!
Mario e eu percorrendo os 2.5km até os glaciares. Parece pouco, mas em altitude, 2.5km são eternos.
Mario e eu percorrendo os 2.5km até os glaciares. Parece pouco, mas em altitude, 2.5km são eternos.

 

Gostou?? Dúvidas?? Comenta aqui…

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *