AUTOCONHECIMENTO,  FAVORITOS

Aprender a meditar pode mudar sua vida

O ato de meditar vem se tornando cada vez mais popular e ganhando praticantes por todo o mundo. No entanto, você já experimentou sentar por cinco minutos e, simplesmente, silenciar? 

Se sua resposta foi sim, ótimo! Você está fazendo algo que é natural do ser humano e que foi esquecido pela correria do dia a dia, pela velocidade da vida e pela falta de informação sobre o efeito positivo que essa prática tem no seu dia a dia.

Porém, se sua resposta foi não, calma! Continue lendo esse post para compreender melhor como, e porquê, meditar pode mudar sua vida. Lembre-se, não é difícil, não precisa de um guru, você pode começar agora e, com o tempo, você vai perceber que depois de praticar e resgatar este costume natural, nada mais será como era antes. 

Seu olhar ficará mais desperto:

este talvez seja um dos primeiros e grandes ganhos da prática da meditação. Isso porque, a partir do momento que se volta o olhar para dentro, e se visita um novo lugar dentro si ainda não descoberto, a perspectiva do fora é alterada. É como se ao praticar a ampliação do olhar interno, a visão externa se modifica e se torna mais apta a observar os detalhes e o segundo plano. É o ato de desenvolver a visão para além do ego.

Com esta nova perspectiva é possível enxergar a vida com maior empatia e compaixão para com o outro, com a natureza e com o todo. É descer de um pedestal ilusório, e solitário, para se colocar aberto as ricas trocas feitas por meio de uma conversa olho no olho, de uma escuta atenta, e da ajuda sincera sem expectativas de algo em troca.  O monge e pesquisador Matthieu Ricard escreveu em seu livro, “A revolução do altruísmo”, sobre como é importante treinar a virtude da humildade e dissipar a ilusão do ego.

“Os humildes não são pessoas belas e inteligentes que se empenham em convencer-se de que são feias e tolas, mas pessoas que fazem pouco caso de seu ego. Não se consideram o umbigo do mundo, abrem-se com mais facilidade aos outros e são particularmente conscientes da interconexão entre todos os seres”. 

A intuição será desenvolvida:

engana-se quem pensa que intuir é um ato fantasioso, desconectado da realidade, alheio as ações da rotina. Intuição nada mais é do que usar, de forma consciente, o hemisfério direito do cérebro. O físico, e gênio, Albert Einstein já dizia: “A mente intuitiva é um presente sagrado e a mente racional é um servo fiel. Nós temos criado uma sociedade que honra o servo e tem esquecido do presente sagrado”.

Aprender a meditar, e transformar essa prática em um hábito, auxilia no equilíbrio de suas emoções, pensamentos e reações. Não é novidade o fato de que não se pode controlar os eventos que acontecem no mundo e na vida. Aliás, o controle, bem como o ego, é ilusão. No entanto, desenvolver a intuição lhe trará mais tranquilidade, senso de presença e, consequentemente, felicidade. A intuição é a consciência em ação; é estar onde se deve estar, fazendo o que se deve fazer, vivendo o momento presente.  

Ainda não se convenceu?

Tudo bem! Não acredite neste post. Pegue cinco minutos da sua manhã, sente, respire fundo, feche os olhos e experimente você mesmo. Neste post aqui, ensinamos como começar.

A verdade não é algo que os outros te dizem, mas sim, uma experiência. Você mesmo comprovará que meditar é a chave para liberdade. É a conscientização que dá nascimento a uma crença inabalável, que não será mais ameaçada pelas circunstâncias externas nem os medos interiores.

Aprender a meditar pode mudar sua vida, puramente pela razão de te auxiliar a diminuir a distância entre você e você mesmo. Na jornada interna, você descobrirá que para seres despertos, a vida é repleta de luz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *