BRASIL,  MINAS GERAIS,  VIAGEM

SERRA DA CANASTRA – DELFINÓPOLIS

Serra da Canastra

“Eu não abro mão. Nem por você, nem por ninguém. Eu me desfaço dos meus planos. Quero saber bem mais que os meus 20 e poucos anos”.  Essa foi a trilha sonora desse trekking longo, total de 18km de muito cerrado e repleto de belezas.

Serra da Canastra

LOCAL: Complexo do Paraíso. O complexo conta com lindas cachoeiras e trilhas. Fica em área particular onde funciona um restaurante e uma pousada. O proprietário é um simpático senhor, chamado Veni. Tem boa estrutura de apoio aos visitantes, com pousada e camping. É cobrada uma taxa de visitação no valor de R$20 por pessoa, para passagem. Caso vá se hospedar ou acampar esta taxa está inclusa. Fica a  7.5 km do centro da cidade de Delfinópolis.

CIDADE: Delfinópolis – MG

COMO CHEGAR: A cidade de Delfinópolis está localizada entre a Represa de Peixoto (Rio Grande) e a Serra da Canastra  ao sudoeste do Estado de Minas Gerais. O melhor acesso à Delfinópolis é feito através do Município de Cássia MG. O caminho é todo asfaltado e é necessário atravessar a represa do Rio Grande de balsa (taxa de R$14 por carro – valor pago no retorno, e varia de acordo com o tamanho do veículo). Há sempre a possibilidade de pegar uma fila. Foi o que aconteceu comigo nesse fim de semana, esperamos cerca de 30 minutos para atravessar. Ambulâncias, ônibus e carros da prefeitura possuem preferência.

Para acessar ao mapa. Clique aqui.

Serra da Canastra

EPÓCA:  Até a pousada o acesso pode ser feito de carro popular, de preferência se você for no período de seca. Já depois dali a trilha fica mais complicada e só com uma 4×4 para passar. Em alguns trechos nem assim, só a pé ou de mula mesmo.

ROTEIRO:  Saímos de carro de Franca-SP às 8h e partimos rumo a Delfinópolis. O melhor trajeto foi passando por Ibiraci, depois pela entrada de Cássia e chegando na balsa para Delfinópolis. Como demoramos para atravessar começamos a caminhar um pouco tarde, por volta das 11h. Saímos da Pousada Paráiso, descrita acima e fizemos uma trilha de 18km, passando pela escadaria dos motoqueiros, casinha branca, mirante e retornando para a pousada.

Demoramos no total do trajeto 4 horas. Paramos para tirar foto, filmar e comer. Fizemos em um ritmo moderado.

Serra da Canastra

Não foi necessário o guia, pois meu pai já tinha feito essa trilha e me passou orientações do trajeto, porém também peguei dicas com o proprietário da pousada. Fui eu e a Marcela, minha parceira de longas distâncias. Meu pai com mais dois amigos fizeram o trabalho de apoio em alguns pontos da trilha, nas quais o acesso de 4×4 era possível. Estávamos o tempo todo nos comunicando, pois a trilha não é demarcada e não possui nenhuma sinalização, o que foi muito importante para não sair do roteiro. Mas mesmo assim nos perdemos em um trecho. Momentos de tensão, pegamos uma trilha bem fechada, nível hard, a comunicação aqui com o apoio fez a diferença.

Serra da Canastra

 

Ou seja, se você não conhece nada, não indico que vá sem guia,pode se perder e acabar com o fim de semana o qual era para ser perfeito.

Para fazer as próximas trilhas tranquila, recebi a indicação de contratar um guia dessa pousada aqui.  Assim posso fazer um trecho mais longo e de maior dificuldade.

E aí, em uma segunda vez já conhecendo o trajeto dá para fazer até sozinha!! Tranquilo.

DIFICULDADE: Moderado.

Serra da Canastra

Nos despedimos fechando o dia com um pôr do sol ALUCINANTE. Definitivamente foi mais um presente para fechar com chave de ouro a conquista desses 18km.

Serra da Canastra

Gostou? Quer ver mais??? Acesse nosso canal no YouTube – Melhores Trilhas – e conheça mais das belezas desse local. Se ficou alguma dúvida…escreve aqui. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *