CAMINHO DA FÉ,  PEREGRINAÇÕES

Caminho da Fé a pé | 10 dicas para uma peregrinação de sucesso

Para que uma viagem de autoconhecimento, como o Caminho da Fé, seja transformadora, ela deve apresentar alguns imprevistos e adversidades. Isso porque, é por meio desses obstáculos que aprendemos mais sobre nós mesmos e sobre a vida.

No entanto, encarar os desafios com coragem e sabedoria é algo muito diferente de se lançar no desconhecido, sem prudência ou conhecimento.

Por certo, realizar uma peregrinação acima de 300 km requer preparação e planejamento. Embora o Caminho da Fé seja uma rota conhecida, o roteiro é intenso e vai exigir tanto da parte física do peregrino, quanto da parte emocional.

Então, se você está planejando realizar o Caminho da Fé, saiba que a preparação começa muito antes do primeiro passo. Sobretudo, a jornada tem início no planejamento do roteiro, na escolha dos equipamentos e no treinamento físico. 

Desse modo, para te ajudar nessa expedição de autoconhecimento e espiritualidade, listei 10 dicas incríveis que farão da sua jornada pelo Caminho da Fé um sucesso. Quer descobrir? Continue lendo este post.

Dica 1 – Compre a credencial do peregrino Mariano

Antes de tudo, a credencial do peregrino será o seu passaporte durante o Caminho da Fé. Portanto, isso significa que é por meio desse documento que você comprovará a sua condição de peregrino e registrará os quilômetros percorridos. Aliás, sem os carimbos autenticando a sua jornada, você não terá direito ao certificado mariano na Basílica de Nossa Senhora de Aparecida.

Atualmente, o valor da credencial é de 20 reais e pode ser adquirida em todos os ramais oficiais de saída. Dessa forma, é na própria pousada credenciada, do ramal escolhido, que você encontrará o documento disponível para venda.

Dica 2 – Aprenda a se orientar no Caminho da Fé

O Caminho da Fé é inteiramente demarcado por setas amarelas e, assim como o Caminho de Santiago de Compostela, possuí todo o trajeto muito bem demarcado.

Ademais, além das setas amarelas, existem também placas com o logotipo da Associação do Caminho da Fé que demarcam o quão distante o peregrino se encontra do destino final. Portanto, tais marcações podem ser vistas de dois em dois quilômetros durante todo trajeto e em qualquer dos mais de dez ramais oficiais.

Dica 3 – Reserve as pousadas com antecedência

Antes de mais nada, é essencial que o peregrino se programe com antecendência e realize as reservas antes de dar início a peregrinação. Talvez, como muitas das hospedagens são pequenos hotéis ou pousadas, logo após o período de pandemia, haverá novas regulamentações e exigências sanitárias que limitarão a quantidade de camas.

Com o fim de não correr o risco de ter de caminhar mais dez ou vinte quilômetros, até o próximo destino, indicamos que realize as reservas com antecedência.

Como resultado, além do conforto da certeza de ter onde dormir, o peregrino que possui restrições alimentares, como eu que sou vegetariana, pode informar o proprietário da pousada e ficar tranquilo de que não encontrará bacon no feijão 🙂

Dica 4 – Faça um planejamento financeiro para o Caminho da Fé

Uma vez que o Caminho da Fé passa pelo interior do estado de Minas Gerais e de São Paulo, cruzando zonas rurais e pequenos vilarejos, nem sempre o peregrino encontrará bancos e caixas eletrônicos. Por consequência, realizar as reservas nas pousadas e efetuar o pagamento antecipado, evitará a necessidade de carregar uma grande quantia em dinheiro.

Em resumo, são poucas as pousadas, hotéis e restaurantes que aceitam cartão. Com frequência, somente os estabelecimentos maiores e mais estruturados são os que oferecem essa opção de pagamento. Desse modo, se você tiver a intenção de comer pastel, tomar caldo de cana e ajudar na economia dos pequenos comerciantes, tenha dinheiro no bolso.

Por vezes, o montante necessário depende de cada peregrino e da quantidade de dias que passará caminhando. Por exemplo, um bom valor para alimentação e água, durante 14 dias de viagem, gira em torno de 400 reais.

Dica 5 – Treine com o seu equipamento peregrino

Por certo, a peregrinação ao Santuário de Nossa Senhora de Aparecida é desafiadora. Não apenas a quantidade de dias é estenuante, como também a variação de altimetria intensa que vai exigir um bom preparo físico.

Powered by Rock Convert

O ponto mais baixo é de 552 metros e o mais alto de 1820 metros — na região de Campos do Jordão. Em um único dia, o peregrino pode variar a altitude em mais de 1000 metros, como ocorre nos trechos que passam pela Serra da Mantiqueira.

Dessa forma, o peregrino deve estar acostumado com a mochila e com o calçado escolhido. Bolhas, dores nos ombros, nos joelhos e nos quadris, devido a uma escolha errada de equipamento, podem acabar com a expedição ou transformar a jornada em uma experiência de dor e sofrimento.

Durante a preparação, não apenas escolha terrenos diferentes, mas opte por aqueles que com desafiantes subidas e descidas. A propósito, leve com você a mochila e calce o tênis ou bota que planeja peregrinar. Desse modo, você conseguira carregar cerca de um a dois litros de água e, assim, ter consciência do quanto necessita se hidratar e de como o líquido pesa.

Dica 6 – Prefira tênis a bota

Apesar da escolha do calçado ser particular e bem pessoal, o que pude constatar guiando diferentes perfis de peregrinos, foi que o uso do tênis de trilha é a melhor opção. Além da leveza, da maciez e da maleabilidade, o tênis de trilha oferece uma gama de características que evitam o atrito das unhas com a frente do calção, bem como, o estresse dos tornozelos.

Assim sendo, optar por um modelo de tênis de trilha, e não um tênis comum, é ainda melhor. Não raro, esse tipo de calçado possui garrinhas na sola que evitam possíveis escorregões e torções e, apesar do investimento ser um pouco mais alto, a qualidade vale a pena.

Dessa forma, deixo aqui duas marcas, como indicação:

Dica 7 – Tenha um kit bolha

Apesar de esse ser um assunto polêmico em caminhadas de longa distância, e cada peregrino ter uma maneira particular de tratar ou prevenir bolhas, tenho algumas dicas. Por exemplo, itens baratos e fáceis de encontrar, que uso e funcionam muito bem são:

  • Hipoglós ou Vaselina: esparrame o creme entre os dedos e na região do calcanhar. Por ser uma pomada que não é absorvida pela pele, o uso diário vai evitar o atrito e, consequentemente, as temíveis bolhas.
  • Agulha e linha: caso uma bolha se forme, fure-a com a agulha, passe a linha dentro da lesão e a deixe lá. A linha evitará que o líquido se forme novamente, funcionando como uma esponja.
  • Nebacetin: por ser uma pomada cicatrizante, ela vai evitar qualquer tipo de inflamação ou infecção. Ao realizar o processo da agulha e da linha, passe essa pomada por cima.

Dica 8 – Leve apenas o necessário para o Caminho da Fé

mochila do peregrino que vai fazer o caminho a pé deve ser o mais leve possível. Como vimos, a peregrinação pode levar semanas e a quantidade de peso fará uma grande diferença na caminhada.

O indicado é, por exemplo, que o peregrino opte por roupas leves, de preferência com mangas compridas, tênis adequados para a prática de trekking e chapéu ou boné para se proteger do sol. 

Na mochila, vale a pena levar repelente, protetor solar, duas garrafas de água para o dia, duas mudas de roupa e agasalho para o frio, além de medicamentos e materiais de primeiros socorros.

Dessa forma, como é possível se hospedar em hotéis e pousadas ao longo do trajeto, barracas de camping não são necessárias, o que facilita na montagem da mochila e reduz o peso.

Dica 9 – Tenha um pequeno kit farmácia

A princípio, cheguei a conclusão de que carregar um pequeno kit médico é essencial. Por certo, a quantidade de medicamentos não deve ser exagerada e, por consequência, sobrecarregar sua mochila. Antes de tudo, lembre-se que você vai encontrar farmácia pelo caminho, assim como, postinhos médicos e hospitais.

Dito isso, separei aqui uma listinha do que deve conter no seu kit médico:

  • Band aid
  • Esparadrapo
  • Remédio para dor muscular da sua preferência, tanto comprimido quanto pomada ou spray.
  • Remédio para cólica
  • Nebacetin
  • Hipoglós
  • Protetor solar (pele e labial)
  • Anti-alérgico

Dica 10 – Desfrute do trajeto de peregrinação

Embora exista dor, desafios, adversidades e puro cansaço, não se esqueça de viver o momento e desfrutar do caminho. Por mais difícil que seja, nutra os pensamentos positivos e se dedique ao presente.

Fazer uma peregrinação é viver uma experiência intensa de autoconhecimento e transformação. Então, aproveite o caminho e tenha a certeza de que tanto no caminho quanto na vida as coisas sempre passam.

Independentemente do motivo, completar a peregrinação à Aparecida será uma experiência transformadora. Certamente, o Caminho da Fé será especial e proporcionará a intensa prática da espiritualidade e da filosofia peregrina.

Porém, como foi dito, para que você aproveite ao máximo essa experiência, é importante investir tempo no planejamento da viagem. Deu aquela vontade de percorrer o Caminho da Fé? É fácil, entre em contato comigo pelo e-mail: natrilhas@gmail.com. Será um prazer dividir minha experiência e ajudar você a viver essa experiência transformadora!

269 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.