AUTOCONHECIMENTO

6 dicas para fazer uma viagem de autoconhecimento perfeita

Conhecer a si mesmo — seus gostos, sentimentos e propósito — pode parecer uma missão difícil e desafiadora. Afinal, existem dúvidas com as quais nos deparamos durante a vida que somente nós podemos responder, mas, num mundo cheio de estímulos, nem sempre é fácil se encontrar consigo mesmo.

No entanto, esse cenário pode ser mudado com uma viagem de autoconhecimento. Você já ouviu falar sobre ela?

Existem diversos destinos e companhias possíveis, mas esse tipo de viagem tem um conceito um pouco diferente, e muito agradável. Então, se você quiser saber o que ela tem a ver com espiritualidade e como garantir uma viagem perfeita, este post foi feito para você! Continue a leitura e entenda tudo.

O que é uma viagem de autoconhecimento?

Basicamente, esse é o tipo de jornada que te possibilita conhecer novas pessoas e culturas, explorar um mundo cheio de possibilidades e buscar a sua paz, sua conexão consigo mesmo. Justamente por isso, não tenha medo de ir sozinho!

Viagens de autoconhecimento são a experiência perfeita para se desligar do mundo externo e de suas crenças limitantes. Nelas, as aflições, preocupações e tudo o que não nos faz bem vai embora, permitindo que relaxemos e entendamos aquilo que nos define.

Lembre-se: contemplar a natureza e o silêncio e praticar a meditação são essenciais para momentos de reflexão, gratidão e crescimento espiritual.

Quais são os benefícios desse tipo de viagem?

São vários os benefícios de realizar uma viagem solo, todos ligados ao autoconhecimento e à evolução individual. A seguir, vejamos os principais deles:

  • conhecer novas pessoas;
  • acabar com preconceitos e crenças limitantes;
  • aprender a agradecer pelo que temos, diante das realidades encontradas mundo afora;
  • observar a natureza e contemplar a sua paz;
  • entender que viver na simplicidade é, na verdade, ser mais livre;
  • perceber, na prática, que você consegue se desdobrar nas mais diversas situações;
  • fortalecer a sua autoestima;
  • desconectar-se da bagunça e se encontrar na calmaria.

Além de tudo isso, a espiritualidade ainda fica muito mais aflorada! Passar um tempo sozinho é como fazer um retiro espiritual — da mesma forma que é preciso “se retirar” e sair da sua zona de conforto, seja qual for a fé professada pelo viajante.

Como fazer uma viagem perfeita?

Para que a sua viagem de autoconhecimento seja maravilhosa, sem estresse ou arrependimentos, separei a seguir algumas dicas simples, mas que funcionam demais para que você tenha uma experiência perfeita. Confira!

1. Planeje-se

Não é porque o objetivo da viagem é se distrair e esquecer as preocupações que o planejamento deve ficar de lado. Pelo contrário: esse é o principal motivo pelo qual você deve se organizar com antecedência. Só assim é possível evitar situações indesejadas durante a viagem.

Na hora desse planejamento, considere:

  • o tipo de ambiente que você gostaria de visitar — praias, montanhas, locais calmos ou com aventuras etc.;
  • o seu orçamento;
  • quantos e quais dias você vai ficar longe de casa;
  • onde se hospedar;
  • como se locomover.

Outra dica importante, se a viagem for para o exterior, é conferir o seu passaporte e a necessidade de vacinas para entrar no país de destino.

2. Tenha atenção às rotinas e cultura do local que pretende conhecer

Antes de sair de casa, estude um pouco sobre o local para onde você vai. Pesquise como ele funciona, o que é interessante levar e o que não levar, por exemplo. Aliás, lembre-se de que não discriminar a cultura do destino é essencial para que você crie um elo com o povo da região e possa se sentir realmente em casa.

Faça de cada local visitado a sua própria morada. Contemple as suas belezas e entenda que, ao menos nesse momento de viagem, você é parte daquela região e das pessoas que ali habitam. Então, cuide delas, no que for possível, não polua o ambiente e adote práticas éticas e agradáveis.

3. Esteja aberto para novos aprendizados

Todo lugar tem um pouco para nos dar, assim como nós temos algo a lhe oferecer. Por isso, largue qualquer tipo de preconceito e esteja aberto às pessoas da região! Entenda os seus costumes e escute suas crenças, pois essa mistura deles com você é o que fará a sua viagem valer a pena. São diversas religiões, mantras e até exercícios de meditação, por exemplo, que diferem de uma região para a outra.

Existem alguns lugares, inclusive, que disponibilizam a possibilidade de trabalho voluntário, o que é uma oportunidade única de conhecer cada particularidade da região. Além disso, absorver o máximo possível da cultura é simplesmente mágico — é como levar experiências positivas, novas atitudes e formas de pensar na sua bagagem.

Enfim, pratique o que for possível e se abra para os benefícios que cada aprendizado te trará. Assim, a tendência é que você conheça melhor os seus próprios gostos e preferências.

4. Respeite o seu próprio tempo de mudança

Algumas vezes, não gostamos da comida regional ou não queremos participar da oração matinal que é feita costumeiramente em uma determinada região. É normal. Esses são exemplos de situações que podemos enfrentar numa viagem de autoconhecimento.

Se, por um lado, é importante se abrir ao novo, por outro lado devemos respeitar o nosso tempo para que aquela rotina seja, também, a nossa durante o tempo da viagem.

Somente ao insistir com o seu corpo e mente é que eles vão entender que você está aberto às novas experiências da vida. No entanto, isso pode levar dias, semanas ou até meses. Então, tenha paciência e busque perseverar para que a mudança aconteça, mas de forma leve e prazerosa.

5. Não negligencie a segurança

É claro que viajar sozinho oferece riscos diferentes se comparado a viagens em grupos, mas a dica geral é a mesma: não deixe de prezar pela sua segurança.

Hospede-se em locais confiáveis — o ideal é pesquisar, antes, a reputação em sites de avaliação de viagens —, mantenha seus pertences sempre próximos a você e, mesmo em lugares que parecem calmos, tenha atenção às pessoas com quem você conversa e se relaciona.

6. Leve livros

Desconectar-se da tecnologia é essencial, ainda mais nos dias hoje. Então, tente se esquecer das redes sociais e viva o seu momento sem nenhuma influência externa.

Dependendo do lugar, porém, é importante estar com o seu smartphone por perto. Caso você precise consultar um mapa, por exemplo, ter essa informação na palma da mão pode ser bem útil. Ainda assim, levar livros que te acalmam é a melhor saída para momentos de ócio.

Ler algumas páginas antes de dormir ou após um longo passeio pode ser proveitoso para exercitar a sua mente. Dê preferências, em geral, a livros relacionados à sua vida espiritual — religiosos ou não — e livros que costumam acalmar a sua mente.

Por que as viagens possibilitam o autoconhecimento?

Em uma viagem desse tipo, nós conhecemos os nossos limites. Diante das diversas situações imprevistas que podem ocorrer com um viajante, entendemos que podemos ser bons naquilo que imaginávamos não ser, e que temos condições de nos superar a cada novo destino visitado.

Além disso, passamos a gostar de coisas que nem conhecíamos, ou até daquelas que nunca havíamos nos permitido experimentar. Por isso, para garantir uma viagem proveitosa é preciso abrir a mente e o coração a cada vivência, na certeza de que dias bem vividos são bênçãos em nossas vidas.

Enfim, fazer uma viagem de autoconhecimento é uma das melhores experiências que alguém pode ter na vida. Por meio dela, como vimos, o indivíduo acumula conhecimentos e muitas histórias pra contar, além de fazer amigos e deixar um pouco de si em cada lugar visitado.

Então, gostou da leitura? Se você está morrendo de vontade de fazer uma viagem nesse estilo, mas seus amigos e familiares não entendem, compartilhe este post com eles nas suas redes sociais! Assim, eles poderão conhecer melhor essa prática que faz tão bem ao nosso ser.

3 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.